Connecting...

W1siziisijiwmtgvmtavmdevmtgvmzyvndcvnjmwl0jsb2d2mi5wbmcixsxbinailcj0ahvtyiisiji1mdb4mzawiyjdxq
W1siziisijiwmtgvmtavmdevmtgvmzyvndavmtyvcgvuc2fuzg8uanbnil0swyjwiiwidgh1bwiilcixmdawedqwmfx1mdazzsjdxq

O que ponderar na hora de pedir demissão?

Antes de mais nada, vamos partir da premissa de que pedir demissão nunca é uma tarefa fácil. É nesses momentos que passa pela cabeça todo um filme sobre o período em que se esteve dentro de uma empresa. Mas, você sabe o que ponderar antes disso acontecer? E você sabe como se preparar para essa situação? Vamos lá, farei o possível para ajudar dividindo esse momento em três importantes etapas: antes de pedir demissão, durante e depois.

 

Antes de pedir demissão

 

É verdade que existe uma tendência a ficarmos desmotivados quando não estamos enxergando propósito naquilo que estamos fazendo, ou mesmo no ambiente em que estamos inseridos. No entanto, mais importante do que apenas agir por impulso e tomar uma decisão pela demissão, você deve se fazer algumas perguntas:

 

  1.     Eu posso melhorar esta relação entre o meu próprio trabalho e a empresa em que estou?
  2.     Qual é a causa raiz que iniciou esse meu desinteresse pela empresa ou pelo trabalho que desenvolvo aqui?
  3.     Em quais momentos a empresa não disponibilizou os recursos e os incentivos que precisei para desempenhar um bom trabalho? Porquê?
  4.     Em quais momentos eu deixei de dar o meu melhor em determinadas situações e tarefas? Porquê?
  5.     Esse trabalho e empresa estão alinhados aos meus objetivos profissionais de curto/médio e longo prazo? E ao meu momento de vida?

 

Se para qualquer uma das perguntas acima você teve dúvidas se já fez todo o possível para fazer com que essa relação funcione, então sugiro que antes de ir para a próxima etapa, você tenha uma conversa séria e transparente com o seu gestor ou mesmo com o RH da sua empresa.

 

Procure ter uma conversa franca, apresente argumentos bem embasados e ouça o que a empresa pode fazer por você. Outro ponto importante: peça feedback, descubra o que eles esperam de você e diga também o que te falta para estar mais motivado no dia a dia. Acredito que essa seja sempre a melhor forma para alinhar as expectativas entre os lados e traçar as estratégias necessárias para o sucesso desse relacionamento. Se mesmo assim as coisas não melhorarem, seguem algumas dicas sobre a próxima etapa.

 

Pedindo demissão

 

Algumas decisões de saída não estão atreladas apenas a uma insatisfação financeira ou desempenho de funções, mas sim a busca por um ‘propósito’ ou pela realização de outros projetos de vida. Por isso, tenha clareza sobre o que está motivando você a querer sair. Nesse momento é importante que você já tenha tomado a sua decisão. Lembre-se de seus objetivos, eles são seus melhores norteadores de carreira, sempre.


Quando seu plano de carreira está claro, não há tantas dificuldades assim em dar os próximos passos. Afinal, como toda decisão os riscos devem ser analisados antes da comunicação da decisão. É o que chamamos de “isso está na conta”. A dificuldade não está ligada à decisão em si, e sim na expectativa e no medo que muitas vezes colocamos em cima de algo.

 

Mesmo que nesse momento você receba uma contraproposta para ficar, pondere isso com muito cuidado, não se esqueça que foi você quem sinalizou para a empresa que iria deixa-la, então o que impede que em um possível corte no curto, médio e longo prazo a empresa não olhe primeiro para os profissionais que estavam menos comprometidos com a organização, antes de cortar aqueles que nem tinham pensado em pedi-la? Por isso digo que é tão importante ter uma conversa franca com o gestor ou com o RH antes de tomar a decisão.

 

Após a demissão

 

O mais difícil já passou, certo? Na verdade, não, essa etapa possui outro ponto importantíssimo, que é saber conduzir a sua saída da melhor maneira possível para que consiga deixar as portas sempre abertas. Não digo necessariamente na mesma empresa, mas principalmente com os profissionais que você teve a oportunidade de trabalhar. Eles poderão te indicar, ou até mesmo te contratar em uma outra organização no futuro.

 

Por isso, faça um bom trabalho até o seu último dia de empresa, deixe tudo em ordem, esteja à disposição para esclarecer dúvidas, caso seja necessário e treine alguém para desempenhar sua função, se isso lhe for solicitado. Você é a sua marca e é você quem constrói a sua reputação ao longo da sua carreira. Faça essa marca ser valiosa e admirada, o resto virá por acréscimo. Boa sorte!

Você também pode gostar de: demissao